Festa junina: quem resiste às deliciosas comidas típicas?

por
em Blog

 

Junho é o mês de muitas festas. Quadrilha, fogueira, moda de viola e, claro, muita comilança! Além do friozinho, que já deixa a gente com maior apetite, a variedade de comidas típicas nos deixam sem saber por onde começar.

Milho verde, pamonha, pipoca, canjica, paçoca, pé-de-moleque, doce de abóbora e batata roxa, bolo de milho, pinhão, arroz doce, maçã do amor e, claro que não podia faltar, o vinho quente e o quentão!

Mas será que é possível curtir a festa sem neura com tanta comida boa?

Claro que sim!! Não é preciso deixar de ir às festas ou ficar longe da mesa por tanta fartura. O segredo está em comer sem exageros e durante a semana você mantem sua alimentação saudável e regrada! Não precisa comer de tudo, escolha as preparações que mais lhe agradam e dão prazer! Também não é necessário comprar e estocar no seu armário todos esses doces já que nos supermercados e padarias eles ganham até uma barraquinha para chamar sua atenção, mas nas festas se libere. Permita-se curtir a festa desde o traje caipira, a dança da quadrilha, até as deliciosas comidas típicas!

Escolhi um alimento muito presente não só nas festas juninas, mas nas festas em geral e muitas outras ocasiões, que se tem um mito de que deve estar longe de quem quer ter uma alimentação saudável: a pipoca.

Pipoca

pipoca-baronisalsaSe consumida moderadamente (como tudo nesta vida) ela pode sim ser um alimento saudável e fazer parte das festas juninas, de uma sessão de cinema, ou mesmo um lanche da tarde.

Mas o que a pipoca tem de bom?

A pipoca é riquíssima em fibras que auxilia na regulação do intestino, ajuda a dar saciedade, além de contribuir para o controle dos níveis de colesterol e glicose sanguínea, sendo interessante para aqueles que apresentam diabetes.

Porém, tudo depende da pipoca que você irá consumir. A pipoca que eu falo é aquela feita em casa com o milho de pipoca e não aquelas de micro-ondas ou algumas vendidas nos shoppings.

Qual a diferença entre elas?

Quando fazemos a pipoca em casa com o milho de pipoca podemos ajustar o sal e o óleo usado para prepará-la, diferente daquelas de micro-ondas que são riquíssimas em sódio (sal de adição) e apresentam mais gordura, muitas ainda utilizam a gordura trans, aquela que não faz nada bem para nossa saúde. Além daquelas com sabor de queijo, manteiga, bacon, que levam adição de aromas artificiais.

Pra você que não faz a sua própria pipoca porque acha muito mais prático fazer no micro-ondas, pode ficar tranquilo! A pipoca caseira também pode ser feita no micro-ondas sem fazer sujeira nenhuma, além de não precisar usar óleo.

Basta colocar o de milho de pipoca dentro de um saco de papel de pão, deixar ele “estufadinho” e vedá-lo. Ou ainda você pode usar uma travessa alta de vidro e fechar com uma tampa própria de micro-ondas. Aí é só colocar no micro-ondas por aproximadamente 3 minutos, dependendo da potência do seu aparelho. Mas, assim que você notar que não tem mais milho estourando por um tempo, pode desligar, ela está pronta!!!

A pipoca não precisa ser excluída da sua vida, nem das suas festas. Consumindo com moderação e preparando sua própria pipoca em casa, é só se divertir e saborear!

camila2-1024x1024Nutricionista
Camila Lo Sardo